Situação política atual: desde julho deste ano, o partido Nova Democracia assumiu o poder na Grécia após vencer as eleições com 39% dos votos. ND é um partido conservador, que tem no atual primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis o seu interlocutor de um discurso de retomar a autoestima grega e, infelizmente, contra o processo migratório de acolhimento.

Nos primeiros dois meses de governo, Mitsotakis promoveu uma séria de mudanças na atual política, dentre as quais: até o momento, oito desocupações de escolas e edifícios públicos abandonados em Atenas, que colocaram nas ruas cerca de 500 pessoas refugiadas e imigrantes que tinham esses locais como única opção de moradia.

Novos campos de refugiados foram disponibilizados no norte do País, sem as devidas facilidades que usufruíram anteriormente (acesso ao ensino público, escritórios de asilo, dentre outros).Tendo em vista que essas pessoas já tinham suas vidas organizadas na capital grega, principalmente jovens em vulnerabilidade que estão estudando e trabalhando e Atenas, cresceu consideravelmente a demanda por lugares em nosso projeto de moradia temporária.

Grécia e Itália: saiba quais são as mudanças no cenário político

Outra dificuldade enfrentada atualmente é relativa ao AMKA, que vem a ser o documento de acesso ao sistema público de saúde grego (como se fosse o nosso SUS). O novo governo já anunciou que não vai mais disponibilizar AMKA para refugiados e imigrantes (novas solicitações), inclusive para as crianças que nasceram em território grego, mas cujos pais são de outra origem e ainda não tiveram aceitos os seus respectivos pedidos de asilo.

Em nossas casas do projeto de moradia temporária (em Atenas, trabalhamos em parceria com a ONG Holes in the Borders), todos os residentes já possuem o AMKA – documento que também é obrigatório na obtenção de um contrato de trabalho. No entanto, estamos em contato direto com as associações locais – como o Conselho Grego para os Refugiados – no intuito de estudar brechas na lei sabendo que, com a rotatividade que temos em nossas casas a medida que os jovens se tornam independentes, podemos ter problemas futuros com novos residentes que podem ser afetados por esta nova e polêmica medida.